terça-feira, 26 de outubro de 2010

ONDE ESTÃO OS PREGADORES COMPROMETIDOS COM A VERDADE?

Onde estão os pregadores plenamente comprometidos com a essência do Evangelho de Cristo, capazes de ministrar o trigo da Palavra sem o joio das imaginações humanas, tão a gosto da modernidade homilética?
 
Onde estão os pregadores vestidos de simplicidade e revestidos de transparência, capazes de oferecer o testemunho de sua própria vida como pano de fundo para suas mensagens?

Onde estão os pregadores dispostos a abrir mão de aplausos e de gestos bajuladores, de conchavos e de barganhas que comprometem a seriedade da mensagem da Cruz e ofuscam o brilho da glória da Ressurreição do Santo Jesus?

Onde estão os pregadores que não se vendem por honrarias, não se trocam por homenagens extemporâneas e não se maculam com subvenções de origem obscura?

Onde estão os pregadores que rejeitam ser conduzidos por empresários de profetas, agenciadores de compromissos e mercadejadores de astros e estrelas?

Onde estão os pregadores que ainda se atrevem a pregar sobre os longos cravos, as grossas gotas de sangue e os momentos de agonia do Nazareno?

Onde estão os pregadores que ainda se arriscam a pregar o arrependimento e a confissão de pecados, a humildade e a renuncia, a santidade e o jejum?

Onde estão os pregadores que ministram sobre a Vinda de Cristo, não para serem admirados por sua memória, senão para serem tocados pela sua compaixão?

Onde estão os pregadores que tomam tempo aos pés do Amado, até que se sintam encorajados a dizer: “eu vos entreguei o que recebi do Senhor Jesus…”?

Onde estão os pregadores que não substituem Paulo por Flávio Josefo, Isaias por Sêneca e Jeremias por Victor Hugo?

Onde estão os pregadores que não estão obcecados por encantar o auditório com truques de oratória, visto que estão inundados pela unção plena do Avivamento real, que é capaz de levar quase três mil almas de uma só vez a um estado de quebrantamento real?

Onde estão os pregadores que ainda valorizam os apelos para salvação de vidas, ao invés de simplesmente fazerem delirar as multidões com promessas de carro zero e vida sem lutas e aflições?

Onde estão os pregadores que seguem o exemplo de Ezequiel, que somente foi e falou à casa de Israel depois que comeu o rolo por inteiro?

Onde estão os pregadores que não pretendem usar o púlpito para desabafos, preferindo sofrer a fazer sofrer, perder a fazer perder e morrer a fazer morrer?

Onde estão os pregadores que não foram atacados de amnésia, esquecendo por completo de pronunciar em suas mensagens as palavras pecado e arrependimento?

Onde estão os pregadores que não admitem ser o porta-voz do Mundo, visto já serem a boca de Deus, a voz do que clama no deserto?

Onde estão os pregadores revoltados com a idéia de que a igreja seja um circo, o culto seja um show e o pregador um artista (ou palhaço)?

Onde estão os pregadores que fogem do perigo de manter as massas analfabetas da Palavra, estimulando-as à leitura habitual e meditação constante do Livro de Deus?

Onde estão os pregadores que levam em consideração o conselho de Spurgeon: “ se Deus te chamou para pregar, não aspires ser o rei da Inglaterra”?

Onde estão os pregadores que se pautam pela palavra de I Co 2.7, segundo a qual “ falamos a sabedoria de Deus em mistério, a sabedoria oculta , a qual Deus ordenou antes dos séculos?

Onde estão os pregadores que se fazem fracos para ganhar os fracos, e não poderosos para ganhar os poderosos?

Onde estão os pregadores que dão ao povo comida sólida, ao invés de um divertido fast food?

Onde estão os pregadores que se negam a fazer do ministério uma rendosa profissão, a fim de não perderem a benção de serem sacerdotes e profetas do Senhor?

Onde estão os pregadores que pregam APENAS a Palavra, como foi recomendado por Paulo e não um evangelho social, soft, light, raso e sem compromisso?

Alegra a todos os fiéis filhos de Deus saber que esses pregadores existem, não são uma classe em extinção, não perderam sua identidade nem sua autenticidade. O único problema é descobrir onde eles estão: se na cova de Adulão, se embaixo de um zimbro, se à sombra de uma aboboreira, se junto ao rio Quebar. Não é tão fácil encontrá-los.

Mas que existem, existem.

Uns pensam que somente existe Elias. Mas Deus diz que são sete mil.
Pr Geziel Nunes Gomes

É MELHOR RIR PRA NÃO CHORAR !





sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O MESTRE QUE NÃO SABIA FALAR

No livro de Deuteronômio, estão os discursos que Moisés fez quando o povo de Israel estava

nas proximidades da terra prometida, depois de 40 anos de peregrinação pelo deserto. Ele tinha 120 anos e seus ouvintes, com exceção de Josué e Calebe, menos de 40 anos.

O primeiro discurso é uma exposição da história do povo desde a saída do Egito até aquele dia (Dt 1.1-4.40). O segundo discurso é uma repetição das leis a que o povo estava sujeito (Dt 4.44-28.68). O terceiro discurso é uma descrição da aliança de Deus com o povo (Dt 29.1-30.20). Além destes discursos, estão no quinto livro da lei os últimos conselhos de Moisés (Dt 31.1-32.52) e as bênçãos que ele proferiu para cada uma das doze tribos de Israel (Dt 33.1-29).

Moisés declamou também dois preciosos cânticos. Um, logo depois da travessia do mar Vermelho (Êx 15.1-18), e outro, pouco antes de morrer (Dt 31.30-32.43). É também de sua autoria a oração do salmo 90.

O fato de Moisés ter vencido, com o auxílio prometido de Deus, a dificuldade de falar é impressionante. Ao ser chamado por Deus para tirar o povo de Israel do Egito, ele foi logo dizendo: “Eu nunca tive facilidade para falar, nem antes nem agora, depois que começaste a falar comigo. Quando começo a falar, eu sempre me atrapalho.” (Êx 4.10, BLH.)

Tudo indica que o problema era real. Tanto que Deus prometeu: “Eu o ajudarei a falar e lhe direi o que deve dizer”. Além disso, Arão, que não tinha a mesma dificuldade do irmão, poderia falar no lugar dele, o que de fato aconteceu no início (Êx 4.30; 5.1; 7.1, 2).

Outras duas vezes, Moisés fez menção do seu problema particular: “Eu não tenho facilidade para falar” (Êx 6.12, 30). A essa altura, ele estava com 80 anos. Talvez exagerasse o problema, talvez carregasse alguma experiência traumática a esse respeito, talvez não alimentasse a menor esperança de cura. No entanto, Deus forçou a barra, insistiu e venceu. Progressivamente, Moisés superou a dificuldade de falar, se esqueceu do problema, foi curado das experiências passadas, adquiriu confiança e abriu a boca.

Quando Moisés proferiu os discursos que estão em Deuteronômio, Arão, seu irmão e interlocutor, já havia morrido. Os discursos saíram não de sua pena, mas de sua própria boca. Era, então, “poderoso em palavras e em obras”, de acordo com o registro de Estêvão (At 7.22).

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

ACORDE E OUÇA A DEUS !!!!


Últimamente tenho sentido tanto temor e ao mesmo tempo muita vergonha do que têm acontecido no meio evangélico (se enumerasse só perderia meu tempo com tantas bobagens e mininísses), perdemos o que é verdadeiro, o que Deus realmente quer: CORAÇÕES CONTRITOS, HUMILDES, TRANSFORMADOS.
E isso só acontece com intimidade, relacionamento.  (E dá trabalho).
Isso só acontece quendo paramos para OUVIR A DEUS. Que na maioria das vezes têm algo a nos falar que não nos agradará tanto mas causará em nós CONVERSÃO, MUDANÇA.
As bênçãos de Deus são para aqueles que O ouvem e a palavra foi criada para ser cumprida em nós.
É Deus quem te levanta.
É Ele quem possibilita que as bênçãos possam lhe alcançar.
O respeito à palavra atrai a benção para a nossa vida.
Deus nos concede mãos para abençoar tudo o que fazemos e o que tocamos. “O Senhor mandará que a bênção esteja contigo nos teus celeiros e em tudo a que puseres a tua mão; e te abençoará na terra que o Senhor teu Deus te dá.” Deuteronômio 28:8
Todos verão Deus brilhando na sua vida!
Nada de pegar emprestado, ou seja; viver apenas o que os outros "ouvem".isso desagrada a Deus, porque contraria a Sua palavra: Ele quer relacionamento pessoal com todos os seus filhos.
Apartir de hoje você terá para emprestar, mas não pegará emprestado de mais ninguém, em Nome de Jesus!
Pode pedir, pois Ele garante nos suprir quando O ouvimos e fazemos conforme o Seu ensinamento. “O Senhor te abrirá o seu bom tesouro, o céu, para dar à tua terra a chuva no seu tempo, e para abençoar todas as obras das tuas mãos; e emprestarás a muitas nações, porém tu não tomarás emprestado.”
Deuteronômio 28:12
A palavra mostra Deus para você, confie! Saiba que quando Deus fala ao seu coração através da Bíblia Sagrada Ele está em suas mãos!
Seu trabalho é confiar e reivindicá-la, em Nome de Jesus. “Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra. Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.” Salmo 119:41 e 42
Dê resposta ao problema: chame a palavra sobre aquilo que o está atormentando.
Responda aos problemas com a Palavra e você verá a diferença surgir.
Mas... Não se esqueça do principal: OUVIR DEUS, E NÃO A TUA ALMA (vontade, desejos).
E ASSIM SEREMOS E VIVEREMOS REALMENTE O REINO DE DEUS EM NÓS E EM NOSSA NAÇÃO.
Em Nome de Jesus.
bjs...
Pr. Heberson Inácio

PASTOR VOLTA DE "TRANSE", APÓS COLOCAREM MUITO DINHEIRO AOS SEUS PÉS

Em 2009 foram veiculados vídeos e textos denunciando um suposto envolvimento do bispo Manoel Ferreira, deputado federal e líder máximo da CONAMAD – Convenção das igrejas Assembléias de Deus do ministério Madureira, com o reverendo Sun Myung Moon, da seita Igreja da Unificação. A denúncia era grave porque caso confirmada, significaria que o bispo Ferreira havia abraçado uma das mais perniciosas seitas pseudocristãs. Muita coisa foi dita, mas no fim das contas o caso foi abafado e o pastor que fez a denúncia acabou vítima de ostracismo por parte da liderança da denominação.

No início deste ano um novo escândalo envolveu a AD Madureira. Desta vez por conta de um vídeo em que o pastor Samuel Ferreira, pastor da Igreja Assembléia de Deus do ministério Madudeira, no bairro do Brás – SP, entra em transe enquanto o pregador, um tal “profeta Wesley” dá o comando para que os fiéis tragam dinheiro para o pastor. Segundo relato de irmãos presentes, o profeta fez questão de deixar claro que o dinheiro não era pra missões, nem para a igreja, mas para o profeta (no caso, Samuel). Bastaram 20 minutos para Samuel despertar do transe com os bolsos e os pés cheios de dinheiro. Muitos fiéis abandonaram o templo indignados, mas não houve aparentemente nenhuma ratificação por parte da liderança. Era a prova de que a teologia da prosperidade e o demonismo haviam se instalado com força em um dos mais tradicionais templos da AD em São Paulo, dando início a uma era pós-pentecostal. (púlpíto cristão).
video
Minha posição:
Aonde vamos chegar ? Uma pessoa que dá a idéia de que é um grande homem, sério, centrado, eloqüente, líder bem sucedido... nunca me enganou, são na verdade religiosos, legalistas e centralizadores de honra e glória. Enquanto que nas escrituras (para quem lê), Deus é muito claro: "A minha glória não darei a outro". 
Meninos; isso que são Meninos manuseando armas que não são de brinquedo. Mas essa brincadeira já foi longe demais. É muito séria.  E terão que dar conta.  Pois levam outros a errar.
Lamento muito pelos seguidores que na verdade só os seguem por também serem "meninos" e "meninas" que nunca foram "educados" na PALAVRA E NO EVANGELHO DA VERDADE. NUNCA AMADURECERAM.
SÓ QUEREM ÔBA, ÔBA.

Pr. Heberson Inácio

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Diga Não A Resolução da Perseguição: Assine o Manifesto





Leia o apelo do Ministério Portas Abertas em favor da liberdade religiosa nos países muçulmanos. Trata-se de uma mobilização global pela liberdade de crença e culto. Participe, no final do artigo há um link para o abaixo-assinado.


O underground, ministério de jovens da Missão Portas Abertas, iniciou a campanha Free to Believe, que tem o objetivo de arrecadar assinaturas em todo o país para unir-se a milhões de outros cristãos ao redor do mundo para se posicionar contra a Resolução da Difamação da Religião. A campanha visa alertar sobre o perigo dessa resolução que tem sido apresentada na Organização das Nações Unidas desde 1999. Ela apoia as leis muçulmanas como a de apostasia e condena qualquer atitude considerada contra o islamismo. Quem mais sofre com essas leis são as minorias religiosas, principalmente os cristãos. 

A Organização da Conferência Islâmica, que compreende 57 países, sendo a maioria de população muçulmana é quem está por trás dessa resolução e deverá apresentá-la à Assembleia Geral da ONU em dezembro, mas é muito importante que ela não seja aprovada este ano. Com o passar dos anos, o apoio a essa resolução vem diminuindo porque os países que inicialmente a apoiavam estão desistindo aos poucos. Alguns países como o Brasil se abstiveram de votar. Por isso devemos orar para que as autoridades brasileiras se posicionem contra essa resolução, uma vez que ela fere completamente o direito de escolha religiosa dos cidadãos.

Acesse a página da campanha  e assine a petição eletrônica(link no final do artigo) em favor dos milhares de cristãos que enfrentam diariamente restrições e perseguição por conta da intolerância religiosa, principalmente por parte dos muçulmanos.Você também poderá fazer download de alguns recursos como vídeos, apresentação em powerpoint e arquivos para fazer um marca-página. Além disso, você pode imprimir o abaixo-assinado quantas vezes quiser e distribuir para muitas pessoas. Quanto mais assinaturas coletarmos, mais chance existirá para que essa resolução seja derrotada.

O Perigo da Aprovação da Resolução:
  •  dá ao governo o poder para determinar quais visões religiosas podem ou não podem se expressar nesses países;
  •  dá ao Estado o direito de punir aqueles que expressam posições religiosas “inaceitáveis”, de acordo com o que eles acreditam;
  •  torna a perseguição legal;
  •  visa criminalizar palavras e ações consideradas contra uma religião em particular, nesse caso, o Islã.
  •  tem o poder de estabelecer legitimidade internacional para leis nacionais que punem a blasfêmia ou, por outro lado, proíbem críticas à religião. 
  •  Acesse aqui o abaixo assinado global.

Por Wilma Rejane

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Marina Silva rebate declarações do pastor Malafaia

A candidata do PV, Marina Silva, rebateu nesta sexta as declarações do pastor Silas Malafaia, que a acusa de “jogar para a torcida” e se “omitir” em assuntos considerados importantes pela comunidade evangélica, como o aborto e o casamento gay.



Malafaia, que havia declarado voto em Marina no final da semana passada, mudou o voto menos de cinco dias depois. O argumento do pastor é que a candidata verde não se compromete de fato com os assuntos de interesse dos evangélicos.
A candidata do PV argumenta que o pastor Malafaia sabia das posições dela antes de declarar seu voto. “As posições que eu assumi estão há mais de um ano sendo explicitadas. O pastor Silas Malafaia é um homem bem informado. Quando ele manifestou o seu posicionamento favorável, com certeza conhecia essas posições. Mas, estamos na democracia e as pessoas podem mudar de opinião”, disse Marina Silva.
A presidenciável do PV lembrou que jamais se comprometeu em convocar um plebiscito sobre os assuntos mencionados pelo pastor Malafaia. “Quem convoca um plebiscito é o Congresso. E quem aprova as leis também é o Congresso. Eu disse que casos de alta complexidade cultural, moral, social e espiritual como esses, deveriam ser debatido pela sociedade na forma de plebiscito. Mas eu nunca disse que convocaria um plebiscito”, afirmou a candidata.
Usina de boatos
Marina também lamentou os boatos que surgiram nos últimos dias de campanha envolvendo os principais candidatos à Presidência da República, especialmente a candidata Dilma Rousseff. A presidenciável disse, porém, que os próprio candidatos criaram “centrais de boatos” nos núcleos oficiais de campanha para atingir os adversários.
A própria Marina disse que foi alvo desses boatos, que tentavam potencializar sua posições sobre temas polêmicos, tentando tachá-la de “conservadora” e “fundamentalista religiosa”.
“Existiam máquinas poderosas de boatos que atacavam uns aos outros, e, no ‘balzeiro’, vinham também pra cima de mim. Nós não potencializamos absolutamente nada dessas coisas e discutimos propostas. Fizemos um processo limpo na internet. Quem criou centrais de boatos, máquinas poderosas de boatos foram as duas candidaturas. A oficial de posição e a oficial de situação”, justificou Marina.
As declarações foram feitas numa coletiva de imprensa convocada pela própria candidata para demonstrar apoio à Heloisa Helena, do PSOL, que concorre ao cargo de senadora pelo Estado de Alagoas. Heloisa corre o risco de não se eleger.
Apesar da disposição de Marina em ajudar a amiga, a candidata do PSOL não foi encontrada porque participa de campanha pelo interior do Estado. Mesmo assim, Marina deixou uma mensagem para a amiga, a quem classificou de “mulher guerreira e competente, que merece ser eleita e voltar ao Senado”.
IG|Pátio Gospel Noticias